Renato Tadeu dos Santos

 

 

 

Renato Tadeu dos Santos graduou-se em Medicina pela Universidade Católica de Pelotas (UCPel) em 1971. Logo após, ingressou como clínico geral no Hospital de Caridade de Panambi, trabalhando por 2 anos na equipe Clínica Médico Cirúrgico.

Em 1974, a sua trajetória é a residência médica, realizada no Hospital Ortopédico de Belo Horizonte e Hospital Sarah Kubitschek na especialidade de Ortopedia e Traumatologia. Além disso, nesse mesmo período cursou pós graduação em Medicina do Trabalho na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Um novo ciclo iniciou-se em 1976. A sua carreira profissional tem o destino certo na cidade de Passo Fundo, especificamente no Pronto Socorro de Fraturas como Ortopedista e Traumatologista.Também começa a fazer parte do corpo docente da faculdade de medicina da Universidade de Passo Fundo (UPF).

Por estar sempre buscando o aperfeiçoamento na sua especialidade, em 1980, é chamado para participar de um treinamento de Cirurgia de Coluna no Hospital Independência de Porto Alegre com o Dr. Ayrton Adolfo Caron. Com a experiência adquirida, disponibiliza o serviço de cirurgia de coluna no Hospital São Vicente de Paulo (HSVP) em Passo Fundo, onde eram realizados os procedimentos cirúrgicos em ortopedia e traumatologia. Em 1982, o objetivo era integrado pelo fellowship em estágio em Cirurgia da Coluna nos Estados Unidos para aprender a técnica Eduardo R. Luque em deformidades, fraturas e outras patologias da coluna vertebral.

Em 1986, o Renato torna-se sócio fundador da Sociedade Brasileira de Coluna, esta criada durante um  congresso no Hospital de Clínicas de São Paulo. De lá para cá, o trabalho realizado é focado no tratamento  das patologias, das fraturas e deformidades da coluna vertebral. Com o passar do tempo e com experiência obtida com a cirurgia, institui-se uma inquietação em desenvolver métodos mais precisos de diagnóstico e de técnicas minimamente invasivas.

A chegada do ano de 2005 é significativa na carreira deste profissional, pois devido ao curso de técnicas  minimamente invasivas na AACD de São Paulo é evidenciado o conhecimento do uso de ozônio medicinal para o tratamento de hérnia de disco lombar e lombociatalgias. Portanto, em 2006 é feito o primeiro curso sobre ozonioterapia em medicina em São Paulo, iniciando-se, desta forma,  o processo de aprofundamento de estudos nesta ciência. Já em 2007, adquire-se o primeiro aparelho para produzir ozônio gás medicinal, tendo como fonte o oxigênio medicinal.

O contínuo interesse por maiores conhecimentos deu-se também pela acupuntura e medicina tradicional chinesa que tornou-se viável através de um curso na CESAC -AMRIGS de Porto Alegre em 2009. Inclusive, neste mesmo ano é completado estudos a distância sobre tratamento de feridas no Portal Saúde de São Paulo.

A partir de 2010 é conferido ao Renato o cargo de Diretor Cientifico da Associação Brasileira de Ozônio, posteriormente, é implantado o tratamento com ozonioterapia no Hospital São Vicente de Paulo em Passo para realização de pesquisa sobre o pé diabético. Consequentemente, em 2012,  é considerado membro do Conselho Cientifico da Associação Brasileira de Ozônio. Ainda neste último ano, o curso de Acupuntura Neurofuncional  é aperfeiçoada na GEANF em Porto Alegre.

A Ozonioterapia requer aprimoramentos de técnicas e para isso em 2013, um novo curso é realizado a distância sobre Fatores de Crescimento Ozonizados na Universidade Rei Juan Carlos em Madri/ Espanha , subsequente também presencial nesta mesma universidade em 2014.

Pelo esforço e dedicação de anos de estudos da cirurgia minimamente invasiva , em 2015,  o prêmio é consagrado com o primeiro ato cirúrgico minimamente invasivo para tratamento de hérnia de disco lombar.

“Desenvolver a ortopedia integrativa , aprofundando o conhecimento no sistema músculo esquelético com o foco no diagnóstico e na conduta terapêutica individualizada. Sabendo que para cada ser humano deve existir um tratamento, porque o ser humano é único , pois este é o grande mistério da vida, o DNA de cada um é totalmente diferente, O QUE NOS ATRIBUI RESPOSTAS BIOLÓGICAS INDIVIDUALIZADAS”.

Renato Tadeu dos Santos